Como o marketing de conteúdo pode impulsionar o seu negócio


Para que a presença online tenha influência no impulsionamento dos negócios, é importante dar ênfase ao fato de que vai além de um bom site ou a criação de perfil em redes sociais. Neste cenário, o marketing de conteúdo surge como uma solução que conquista cada vez mais espaço para que a corporação tenha engajamento e destaque perante o mercado.

Basicamente, os esforços são direcionados para o desenvolvimento de materiais valiosos para o público-alvo. A proposta é atrair, envolver e de fato criar valor, para que consequentemente a marca alcance autoridade e a confiança dos consumidores.

Para uma melhor compreensão, pode-se citar um conteúdo sobre revestimento decorado para cozinha. Certamente, materiais que buscam solucionar dúvidas, dar dicas de decoração e apresentar curiosidades são enriquecedores para a audiência de empresas desta área.

Com os recursos adequados, é possível obter os seguintes benefícios:

  • Aumento de tráfego no site oficial;

  • Percepção positiva no mercado;

  • Educação de mercado;

  • Mais vendas.

Para alcançar as vantagens apresentadas, naturalmente, é fundamental que as táticas do marketing de conteúdo atendam alguns pontos, por exemplo, que sejam direcionadas de forma precisa, acompanhadas regularmente e de fato compatíveis com a corporação.

Em quais canais a estratégia pode ser desenvolvida?

Por mais que existam recursos variados, entre as principais alternativas encontradas, os blogs e as redes sociais ganham grande destaque. Os blogs são um dos pilares das estratégias de marketing de conteúdo, pois é um meio de grande versatilidade.

Por exemplo, uma empresa de jardinagem que opta por investir nessa tática, pode vincular um blog ao seu site oficial e explorar os mais variados conteúdos especificamente para o seu público-alvo.

Pela possibilidade de implantar materiais variados, o potencial para mais oportunidades de vendas é evidente, em especial, com integração com outras plataformas, inclusive as redes sociais.

Um dos principais destaques ao abordar as redes sociais é a possibilidade de engajamento do público, pois com vídeos, gifs, imagens, textos, entre outros recursos, as empresas podem não apenas apostar na divulgação, mas conquistar as pessoas.

O ideal para selecionar o tipo de rede a ser utilizada pela empresa, assim como outras plataformas, é obter um conhecimento minucioso da audiência, o que envolve não apenas o público-alvo, como também a persona da marca. Afinal, a presença de usuários que buscam por piso vinílico em placa nas redes sociais pode ser totalmente diferente de outros setores, assim como páginas e fóruns acompanhados.

Enquanto o público-alvo corresponde a uma definição mais ampla, por envolver aspectos econômicos, demográficos e sociais, como estado civil, profissão, formação e faixa etária, a persona permite um direcionamento mais preciso, pois abrange questões como presença nas redes sociais, estilo de vida e problemas ligados ao produto da empresa.

A relação do funil de vendas com os conteúdos

É interessante abordar que o funil de vendas não deve ser negligenciado, uma vez que uma representação da jornada de compra dos consumidores. É um conceito amplamente utilizado, pois em cada etapa do processo de aquisição, há estratégias adequadas que as empresas podem empregar.

Por exemplo, no início o direcionamento dos conteúdos é predominantemente voltado para familiarizar os clientes em potencial com a marca, com materiais interessantes e interativos, como podcasts, postagens em blogs e e-books com dicas.

Opções multimídia são interessantes ao longo de todo o funil, porém, é preciso que exista um progresso para potencializar as chances de conversão. No meio do funil, que é onde o cliente em potencial já identificou seu problema, torna-se interessante elaborar conteúdos amplamente direcionados para soluções.

Já ao se tratar do fundo do funil, que corresponde a etapa de decisão, apostar em ofertas mais atrativas para os clientes pode contribuir com a concretização da venda. É importante ter conhecimento de que a confiança na marca é decisiva nesse momento.

A diferença no marketing de conteúdo para B2B e B2C

Compreender a audiência tem grande amplitude ao se tratar do marketing de conteúdo, pois além de envolver conceitos como o funil de vendas, é preciso garantir abordagens adequadas de acordo com o público-alvo e persona.

No caso de empresas que atuam com público B2B (Business to Business), seus clientes são outras corporações, como uma corporação que realiza a instalação e manutenção de portão de correr em indústrias.

Já ao citar o nicho B2C (Business to Customer), tratam-se de transações comerciais direcionadas para os consumidores finais, ou seja, pessoas físicas.

Uma das principais diferenças nos conteúdos direcionados para empreendimentos, é que além de muitas vezes a linguagem formal e termos técnicos serem utilizados, mais exemplos práticos são aplicados para apresentar com clareza os benefícios que a empresa obtém com determinado serviço/produto.

Desta forma, se pode dizer que essa estratégia de marketing vai muito além da produção de conteúdo, pois com os recursos certos é possível estabelecer um relacionamento diferenciado com os consumidores em potencial e com os clientes antigos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


Featured Posts
Recent Posts

Agência Afiliada